Meias <3

O Outono está chegando e uma peça que não pode faltar no seu guarda roupa é a “meia” . Ela deixa seu look mais bonito e quentinho na medida certa . Você pode escolher a que melhor cabe no seu estilo e abusar das combinações.

 

Anúncios

Tatuagem – O amor pela moda marcado no corpo.

Há uns meses eu estava louca para fazer uma tatuagem que representasse o meu amor, admiração e respeito pela Moda. Foi bem difícil escolher o desenho que eu iria tatuar, pois na internet encontramos inúmeras opções, uma mais linda que a outra. Como sou bastante básica, preferi fazer o manequim em linhas pretas.

tattoo0

Fiquei apaixonada por ela! Acho que ela representa muito da minha personalidade.

Como eu encontrei muitas opções lindas de tatuagens, decidi trazer para vocês algumas imagens, desde as mais básicas, até as mais trabalhadas, grandes e coloridas.

Clique na foto para ampliar:

 

Gostou da seleção? Então deixe um gostei e siga a página para acompanhar as postagens do blog. Ah e não se esqueça de curtir no Facebook

Nova tendência de cores promete revolucionar o mundo das noivas.

Foi realizado em São Paulo, durante os dias 24 a 27 de Setembro, a 6º edição do evento Bride Style que reuniu grandes nomes do ramo casamenteiro, entre eles o estilista libanês Lucas Anderi, que ficou responsável pela abertura do desfile de noivas.

aconteceu-em-sao-paulo-sp-entre-os-dias-24-e-27-de-setembro-o-evento-bride-style-que-reuniu-em(2)
Namour Filho/Divulgação

A grande novidade foi à queda do branco tradicional por cores que deram um ar retro, porém moderno. Perfeito para as futuras noivas que querem fugir do protocolo conservador.

desfile-bridestyle-2015---solaine-piccoli-1443481976080_300x500
Namour Filho/Divulgação

O modelo assinado por Solaine Piccoli,  mostra um modelo clássico utilizado entre as noivas, mas que distancia essa ideia pela sua tonalidade amarelada do tecido que se encontra por baixo do tule rendado.

desfile-bridestyle-2015---karen-rodrigues-1443481983521_420x500
Namour Filho/Divulgação

O Vestido de Karen Rodrigues deixa claro à ideia de que o branco não precisa fazer parte do grande dia.

desfile-bridestyle-2015---nuno-velez-1443481986292_300x500
Namour Filho/Divulgação

O vestido branco com corpete e cinto trabalhado em pedras prateadas de Nuno Velez, trás um ar moderno e leve ao look.

desfile-bridestyle-2015---lucas-anderi-1443481977622_750x500
Namour Filho/Divulgação

Detalhe das costas do vestido nude de Lucas Anderi, com bordados no tule transparente, mostram a delicadeza no look da noiva.

Por Lisberg
Continue lendo “Nova tendência de cores promete revolucionar o mundo das noivas.”

A influência do Japão na moda.

japao 3

Desde que abriu suas portas ao mundo ocidental no século XIX, o Japão vem sendo fonte de inspiração para muitos estilistas. O primeiro traje japonês importante a ser exportado e amplamente copiado foi o QUIMONO, embora no Ocidente ele tenha perdido muito do simbolismo e da estrutura originais.

Ligada ao ritual e à tradição, a indumentária japonesa concentra-se na relação do corpo com a roupa, sem, no entanto, revelá-lo. No início da década de 70, vários estilistas japoneses haviam se estabelecido em Paris.

japão blog

Hanae Mori usou o quimono tradicional como base para elegantes roupas de noite. Issey Miyake e Kenzo concentraram-se em tecidos e fizeram experiências com a relação entre a roupa oriental e ocidental, misturando tradições japonesas e ideias européias. No final dos anos 70, um tipo diferente de estilista foi do Japão para a Europa. Kansai Yamamoto, Yohji Yamamoto e Rei Kawakubo, da Comme des Garçons, estabeleceram-se em Paris e revolucionaram os conceitos da moda.

Por meio de suas roupas, refletiam uma atitude para com o ato de vestir-se – quase um estilo antimoda – menos preocupada em trajar-se para uma ocasião ou estação e mais envolvida na adaptação constante da roupa japonesa tradicional. Ignorando a ênfase ocidental dada às formas longilíneas e as proporções anatômicas, os estilistas japoneses introduziram dimensões e texturas alternativas.

japão 1

As roupas eram recortadas e possuíam rasgos em locais estratégicos para enfatizar as proporções  e as cores; a estrutura era dominada ou por cores pardas e escuras ou por padrões de texturas ousados. Graças a esses e a outros estilistas, a influência japonesa sobre a moda contribuiu para ampliar os conceitos estéticos. Estilistas ocidentais começaram a criar roupas menos severas, concentrando-se na fluidez e no drapejamento do tecido, conforme os ensinamentos japonês.

Para mais inspiração, abaixo o vídeo que amo do desfile “A Costura do Invisível” do Jum Nakao, estilista brasileiro, mas que é netos de japoneses e trás muita parceria e referências entre Brasil/Japão. O desfile abaixo foi considerado o desfile do ano de 2004 ou até mesmo o “desfile do século” por muitos críticos da moda.

 

*Este texto foi retirado do livro: Enciclopédia da Moda.

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑